sábado, 21 de março de 2009

10 momentos marcantes das HQs

1869 - AS AVENTURAS DE NHÔ QUIM
De Angelo Agostini

Esse autor italiano, radicado no Brasil, lançou uma das primeiras revistas de nosso país, a Revista Ilustrada. Agostini também foi um dos pioneiros das HQs. As Aventuras de Nhô Quim, publicada na revista Vida Fluminense, narrava as experiências de um caipira na cidade grande. E trazia uma novidade: histórias com um personagem fixo.

1895 - YELLOW KID
De Richard Outcault

Angelo Agostini e outros pioneiros criaram embrioes de HQs, mas a primeira HQ moderna foi Yellow Kid. Na verdade, esse era o nome do principal personagem da tira At the Circus in Hogan’s Alley, que saía uma vez por semana no jornal New York World.

1934 - FLASH GORDON
De Alex Raymond

O personagem surgiu para disputar mercado com outro herói espacial: Buck Rogers. Mas, graças ao talento de Raymond, em pouco tempo as aventuras intergalácticas de Flash Gordon superaram a popularidade do grande rival.

1952 - MAD
De Harvey Kurtzmann

Mad foi uma revista que revolucionou o gênero com seu humor debochado. Era uma forma original de reagir à crescente censura aos quadrinhos nos Estados Unidos, quando os temas mais violentos começaram a perder espaço.

1929 - TARZAN
De Hal Foster e Burne Hogarth

Hal Foster desenhou em tiras o romance de Edgar Rice Burroughs para ser publicado em jornais. O público adorou Tarzan e até hoje as histórias do herói continuam sendo publicadas. Em 1937, Hogarth passou a desenhar o personagem e criou o traço mais vigoroso do "Rei dos Macacos", conferindo às histórias uma ação ininterrupta.

1930 - MICKEY MOUSE
De Walt Disney

Mickey Mouse, símbolo do império de Walt Disney, fez sua estréia num desenho animado de 1928. Foi só dois anos depois que ele virou tira de jornal. Com o sucesso inicial, o ratinho logo ganharia uma revista mensal a Mickey Mouse Magazine.

1959 - BIDU
De Maurício de Sousa

O cachorrinho Bidu foi o primeiro personagem da famosa turma da Mônica criado por Maurício de Sousa. Sua tirinha de estréia saiu no jornal Folha de S. Paulo. No início dos anos 60, surgiriam os personagens Cebolinha, Cascão, Mônica e Magali.

1940 - THE SPIRIT
De Will Eisner

A linguagem revolucionária, com ângulos insólitos, fez com que "O Espírito" já fosse chamado de "Cidadão Kane dos quadrinhos", uma referência ao maior filme de todos os tempos. Danny Colt era um criminologista dado como morto que perseguia bandidos.

1985 - O CAVALEIRO DAS TREVAS
De Frank Miller

Esse artista inaugurou uma nova fase nas HQs: o quadrinho de autor. Em "o Cavaleiro das Trevas" (the Dark kNight Returns, no original em inglês), Miller retrata um Batman vulnerável e inseguro. Com essa humanização do personagem, o artista criou uma das melhores histórias do herói.

1986 - MAUS
De Art Spiegelman

Os judeus são retratados como ratos e os nazistas como gatos na história de um sobrevivente do holocausto. a saga ganhou um Pulitzer especial, importante prêmio jornalístico dos Estados Unidos.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...