quarta-feira, 25 de junho de 2008

Caroline cossey



Caroline Cossey antes Barry Kenneth Cossey, também conhecida como o transexual Tula, seria reconhecida como uma Bond-girlno filme For your eyes only, (Somente para seus olhos),se bem que só foi considerada uma bond-girl ,porque era transexual,porque só teve uma pequena participação,e varias mulheres já apaeceram num filme do 007, e não foram considerada ,bond-girls. Barry Cossey nasceu em Brooke, Inglaterra e, no meio de sua adolescência, tornou-se uma “showgirl” em Paris e na Itália, bem antes de se submeter à cirurgia de mudança de sexo no Charing Cross Hospital. A “showgirl” designa o travesti que se apresenta em espetáculos encenados por travestis Nessa ocasião sua aparência não deixava de assinalar seu travestismo. Sua figuração como uma das garotas de James-Bond no filme For your eyes only, marca o refinamento iconográfico de sua imagem de mulher que transitaria, desde então, de showgirl para modelo. A partir daí ela apareceria em um ensaio fotográfico para a revista Playboy, cuja característica das fotos retomava a imagem de sua personagem no filme de James Bond. A imagem de ex-garota James Bond propiciaria uma redesignação do gozo transexualista em razão da intertextualidade que se compõe entre a imagem da garota James Bond e o signo da mulher sexualmente ideal. Subordinada a essa imagem, ex-garota-James-Bond, o sujeito parecia ser um ideal sexual de mulher. Sob essa nova designação, o transexual Tula não pareceria senão mulher sexualmente ideal.
A partir dessa imagem sua carreira de modelo é promovida e ela chega a se tornar uma supermodelo. A superposição entre a imagem do transexual Tula e a imagem que parecia ser a de mulher sexualmente ideal acabaram sendo exploradas em campanhas publicitárias. Num anúncio para a vodka Smirnoff, Tula aparecia sob os dizeres: Well, they said that anything could happen (Bem, dizem que tudo pode acontecer). Sob a ironia do slogan que pretendia destacar o produto anunciado, a imagem de Tula não deixaria de ser ironizada. Assinalava-se, de todo modo, o que jazia presente de forma velada na Bond-girl, a saber: que a mulher sexualmente ideal é uma montagem. Numa outra propaganda de bebida, sua imagem apareceria sob os dizeres Life is harsh (a vida é discordante), em que sua imagem de mulher sexualmente ideal passaria igualmente denunciada sob o signo da perplexidade. O espetáculo de sua imagem em torno do signo da mulher sexualmente ideal padeceria, assim, de fixar o tormento do gozo transexualista, e o sujeito terminaria por ser compelido a um empuxo-a-escrever apesar do espetáculo de uma imagem que não seria senão de uma mulher sexualmente ideal. Caroline Cossey já escreveu duas autobiografias: I Am A Woman (1982) e My story, the asthonishing autobiography of the boy who was born to be a woman (1991). O empuxo-a-escrever autobiografias sugere que, sob a nova designação, o sujeito não deixa de ser redesignado uma ex-girl.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...