quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

james west



Faroeste ou Espionagem? Talvez tenha sido essa a questão que o produtor Michael Garrison tenha feito a si próprio analisando o gênero western, que havia vendido como água na TV americana na década de 50 e na primeira metade da década de 60. Isso em contraste com a "Bondmania" que assolava o mundo após a produção de "007 Contra Goldfinger", em 1964. Foi pensando num gênero que já havia vendido muito e em outro que estava mais do que na moda, que Garrison pensou em fazer uma mescla colocando – literalmente – James Bond em cima de um cavalo. Para tanto, procurou por Hunt Stomberg, chefe de programação da Rede CBS e tentou convencê-lo sobre a viabilidade do projeto. Elaborar uma mescla de gêneros tão distintos entre si não era uma tarefa fácil. Fazer um novo James Bond televisivo estava fora de cogitação, já que a rede NBC exibia desde setembro de 1964, com grande sucesso no ano de 1965, O Agente da UNCLE, primeiro seguidor de 007 na TV.


Garrison pensou num personagem que após a guerra civil se reportasse diretamente ao Presidente Grant. Os nomes pensados para o herói foram Jim West, Sam South, Tom East e Hal North. O grande problema em princípio foi achar roteiristas que conseguissem misturar faroeste e espionagem, tendo em vista que esses profissionais eram especialistas e quem escrevia um gênero, não conseguia escrever outro. Havia um detalhe que incomodava: James Bond encontrava-se com seu chefe "M", que orientava sobre a missão a ser executada. O muito que 007 fazia depois era encontrar-se com "Q", o cientista mestre de armas e truques que dava ao herói todo um arsenal de recursos a serem utilizados naquela missão. Fazer isso com James West era impossível pela época em que a série estava baseada. Como fazer o herói se deslocar com freqüência até Washington numa época em que o meio de transporte mais utilizado era um cavalo?


Foi para responder a essa indagação que criou-se então o personagem Artemus Gordon. Ele traria detalhes para "West" sobre a missão a ser executada e um arsenal de recursos que o mesmo teria à disposição em cada empreitada. Com o passar do tempo, o personagem de Artemus passou a trabalhar em tempo integral, assumindo a característica de mestre dos disfarces.



Quando da exibição dos episódios da primeira temporada – em preto e branco na extinta TV Excelsior – o que se lia durante a apresentação não era o título original "The Wild Wild West", e sim, o título em português James West. O título no original só começou a ser mostrado em nossa telinha a partir da exibição dos episódios da segunda temporada pela extinta TV Tupi;
Durante a abertura das quatro temporadas, o que sempre se mostrou foi o nome do ator Robert Conrad como Jim West;
Existe uma diferença entre a apresentação do primeiro ano em preto e branco em relação às demais temporadas coloridas. A apresentação do primeiro ano mostra o desenho do herói beijando uma mulher que tem a intenção de esfaqueá-lo pelas costas. Porém, ela fica tonta com o beijo dele e não leva adiante seu intento. Nas demais temporadas, o herói percebe a intenção da moça e lhe dá um soco;
Consta que no original americano, o episódio-piloto mostra o título "The Wild West";
O título "The Wild Wild West" só foi adotado a partir do segundo episódio da série;
Numa cena de perseguição do episódio "Terror Subterrâneo" (The Night of The Underground Terror) o ator Robert Conrad rasga sua calça deixando a cueca exposta;
Enumerar os vários erros de seqüência entre todos os episódios da série parece ser uma missão quase impossível. São tantos que talvez ninguém se atreva um dia a catalogá-los. Existem cenas onde "West" entra na água, molha os cabelos e em seguida aparece com os mesmos secos e penteados. Se observarmos bem, veremos que o cabelo de Robert Conrad alterna entre curto e comprido num mesmo episódio, assim como aparece com penteados diferentes numa mesma seqüência de cena, em vários títulos da série;
Ross Martin (Artemus Gordon), ao contrário do que muitos pensam, não era americano. Ele nasceu na Polônia em março de 1920. Além de Polonês, falava inglês, francês, espanhol e italiano. Foi casado com Muriel Weiss entre 1941/64 e Olavee Parsons entre 1967 e julho de 1981, quando morreu, aos 61 anos, vítima de um novo ataque cardíaco, durante uma partida de tênis;
O ator-anão Michael Dunn (Dr. Miguelito Loveless) chamava-se na verdade Gary Neil Michael Joseph A´Dunn Miller. Nasceu em outubro de 1934 e faleceu em agosto de 1972, aos 38 anos. Embora a causa oficial tenha sido acondroplasia, correm rumores que o mesmo tenha cometido suicídio;
O ator Robert Conrad (James West) nasceu Conrad Robert Falk em março de 1935. Casou-se com Joan Kenley em 1956 e teve seis filhos. Casou-se depois com a atriz LaVelda Fann e teve mais três filhos, atingindo a incrível marca de nove filhos em apenas dois casamentos;
O ator Victor Buono aparece como convidado no episódio piloto da série mas só marcou época em James West quando, em dois episódios da segunda temporada, viveu o vilão Conde Manzeppi. Atuava também na série de TV Batman, onde interpretava o vilão Rei Tut. Atuou em "The Wild Wild West Revisited", vivendo um Secretário de Estado. Nasceu em fevereiro de 1938 e faleceu em janeiro de 1982, aos 44 anos, em conseqüência de um ataque cardíaco

Em 1998, a Warner Brothers anunciou a produção de uma adaptação cinematográfica de James West. Muitos se animaram com a idéia, mas o resultado foi desastroso. No Brasil, a fita chamou-se "As Loucas Aventuras de James West". O ator negro Will Smith foi o escolhido para viver James West e um apático Kevin Kline interpreta Artemus Gordon. Preconceitos à parte, quem conheceu a clássica série da TV sabe muito bem que "West" era branco. Até porque na época em que o programa era baseado, negros não conseguiam tamanha graduação a ponto de serem homens de confiança do Presidente dos Estados Unidos.
Em "As Loucas Aventuras de James West", os agentes especiais do governo James West (Will Smith) e Artemus Gordon (Kevin Kline) recebem a missão de encontrar o diabólico Dr. Arliss Loveless (Kenneth Branagh), que planeja matar o Presidente dos Estados Unidos com a ajuda de um veículo gigantesco, uma verdadeira arma ambulante chamada Tarântula. A princípio rivais, West e Gordon unem seus talentos e tornam-se uma dupla, passando a confiar um no outro.
O diretor/produtor do filme é Barry Sonnenfeld. Iniciou carreira como diretor de fotografia, formando uma colaboração com os irmãos Coen no primeiro filme deles, "Gosto de Sangue", e continuando com "Arizona Nunca Mais" e "Ajuste Final". Seus outros trabalhos como diretor de fotografia incluem "Jogue a Mamãe do Trem", "Te Pego Lá Fora", "Quero Ser Grande", "Harry e Sally - Feitos um Para o Outro" e "Louca Obsessão". Sonnenfeld recebeu um Emmy em 1985 por seu trabalho de câmera no especial para a TV "Out of Step".
Da série original ficaram apenas os nomes, o trem, as armas escondidas e um tema musical que muitos terão dificuldade em reconhecer. De resto, é uma grande ofensa aos fãs da clássica série da TV. A bem da verdade, é um amontoado de besteiras com bons efeitos especiais. "As Loucas Aventuras de James West" foi considerado pela crítica como um dos piores filmes feitos em todos os tempos.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...